CIDADES: Mãe mata o filho de 2 anos e esconde o corpo dentro de sofá em MG. - Rádio Interativa FM - Cabeceiras - GO
Sejam bem vindos!!
Home » , » CIDADES: Mãe mata o filho de 2 anos e esconde o corpo dentro de sofá em MG.

CIDADES: Mãe mata o filho de 2 anos e esconde o corpo dentro de sofá em MG.

Publicado por Redação na terça-feira, 29 de julho de 2014 | 17:49




(Foto: Reprodução)
Um menino de 2 anos foi encontrado morto no domingo (27), dentro de um sofá, em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Keven Gomes Sobral estava desaparecido desde a quinta-feira (24).

De acordo com a Polícia Militar (PM), o corpo da criança estava dentro do móvel na casa dos tios que moram no mesmo terreno que a família da vítima. Os tios não souberam dizer o que havia acontecido, pois estariam viajando e, quando chegaram, sentiram um cheiro forte no cômodo.

Em depoimento, os tios disseram que chegaram de viagem por volta das 22h e pediram a chave da casa à Marília Cristiane Gomes, de 19 anos, mãe de Keven. Como a mãe não tinha as novas chaves, o tio arrombou a porta dos fundos e a sua esposa percebeu um líquido vermelho debaixo do sofá, além de sentir um cheiro estranho.

O móvel foi removido e o corpo descoberto. O sobrinho foi reconhecido pelas roupas que usava, já que estava em um estágio de decomposição avançado. Os tios contaram ainda que viajaram para o Norte de Minas, por volta das 14h, no dia que Keven desapareceu e retornaram no domingo. Além disso, teriam ficado sabendo do sumiço na viagem.

Mãe confessa o crime.
Na tarde dessa terça - feira (29) Marília confessou em depoimento na 9ª Delegacia de Homicídios de Ibirité confessou o crime.

“A todo momento que ela chorou, as lágrimas eram pelo que iria pagar e não pela perda do filho." Foi assim que o delegado Davi Batista.

(Foto: Reprodução / TV Globo)
Bastante fria e sem mostrar arrependimento, Marília contou detalhes de como aconteceu o crime. “Ela diz que o menino estava dormindo e quando se levantou mexeu no celular. O aparelho caiu e o garoto deu um tapa na mão dela quando foi pegar o telefone”, conta o delegado. Foi nesta hora que Marília perdeu a cabeça e cometeu o crime. “Nervosa, conta que pegou as duas mãos da criança e a arremessou com força na cama do casal. O menino bateu a cabeça na parede e desmaiou."

Durante o depoimento, a mulher contou que o garoto começou a mudar de cor e notou uma espuma branca na boca dele. Como ficou com medo de ser linchada e presa, não contou para ninguém sobre o caso. Para tentar se livrar da criança, pegou-a no colo e a levou até a casa vizinha, que pertence aos cunhados. Lá, pegou um lençol, enrolou o corpo e tirou o forro do sofá. Depois de colocar o menino na madeira, voltou a colar o forro do móvel.

Arrependimento

Durante a apresentação, Marília mostrou um semblante triste, mas em nenhum momento derramou uma lágrima. Ao ser questionada, se mostrou arrependida. “Quero pagar pelo crime. Estou sofrendo muito. Não chamei a polícia porque estava com medo de ser presa. Não tinha intenção nenhuma de matar meu filho. Queria que alguém encontrasse o corpo, por isso chamei o Corpo de Bombeiros”, disse.

De acordo com o delegado, a mulher vai responder por ocultação de cadáver e homicídio. Ela foi presa em flagrante pelo crime e a prisão já foi convertida pela Justiça para preventiva.

Durante a apresentação, o delegado contou o passo a passo de como aconteceu o crime, cuja motivação foi por motivo fútil. Conforme Batista, a morte aconteceu na última quinta-feira. Neste dia, Marília chamou a polícia, dizendo que o filho havia desaparecido de casa. Ela contou que estava lavando roupas enquanto o menino dormia e criou uma história de que ele havia sumido.

No dia seguinte, o Corpo de Bombeiros foi acionado e fez buscas pelo garoto. Alguns militares arrombaram a casa onde Keven foi encontrado, mas o corpo não foi encontrado. No domingo, o corpo foi encontrado depois que a tia da criança, Lucimeire de Souza Antunes, de 21, chegou em casa e notou um cheiro forte vindo do sofá. Ela chamou o pai do menino, que encontrou o corpo.

A equipe da Delegacia de Homicídios da cidade assumiu o crime na segunda-feira. Os investigadores foram até o Instituto Médico Legal (IML) de Betim, onde o corpo foi levado, e começaram a estranhar a atitude da mãe. “Nós nos deparamos com ela conversando com uma assistente social tentando a liberação do corpo. O que nos chamou a atenção foi o jeito dela. Parecia tranquila e sem mostrar nenhum sentimento pela morte da criança”, explica o delegado Davi Batista.

Marília foi chamada para a delegacia para prestar depoimento. Segundo o delegado, já entrou no local como suspeita e não como testemunha. Em suas oitivas, apresentou várias contradições, e, conforme as investigações, tirava de si a responsabilidade. “O tempo todo tentava se desvencilhar da culpa. Para se proteger jogou a culpa para outros parentes e pessoas e até para o marido”, afirma o delegado.

Ao notar que a polícia já suspeitava de seus depoimentos, a mulher acabou confessando. De acordo com Batista, o pai da criança, ao ouvir a crueldade da mulher, passou mal e teve de ser amparado por investigadores. Ainda segundo o delegado, ela vai responder por ocultação de cadáver e homicídio.

O corpo de Keven Gomes Sobral, de 2 anos, foi enterrado no início da tarde desta terça-feira no Cemitério Público de Ibirité, na Grande BH.


Da redação com informações do Estado de Minas.
Clique e Compartilhe :

0 comentários :

Deixe o seu comentário.

Os comentários são de responsabilidade dos autores.

PUBLICIDADE

Curta a nossa página no Facebook
 
Suporte : E-mail | Luciano Max®
Plataforma Blogger
Copyright © 2011. Rádio Interativa FM - Cabeceiras - GO - All Rights Reserved
Todos os Direitos reservados a Interativa FM 87,9 Trabalho e Sucesso